No Banner to display

Em tempos de “Sua Inveja faz a minha fama”, os valores básicos de qualquer crença religiosa estão cada vez mais banalizados. A inveja corrói quem a sente, mas quem é vítima deste “sentimento” também é afetado.

É possível dominar esse ímpeto? Você já sentiu ou foi alvo? Poucas pessoas tem a coragem de reconhecer para si a existência deste sentimento. Foi pensando nisso que resolvi compartilhar com vocês uma reflexão de André Valadão.

Raposinha chamada de Inveja

Na carta aos Hebreus está escrito: “Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque Ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te desampararei.” (Hebreus 13.5.) É importante notar que essa promessa do Senhor de nunca nos abandonar sucede a uma exortação a não sermos invejosos e gananciosos.

Na verdade, a eterna presença de Cristo em nossa vida é o nosso bem maior. Mesmo que só tivéssemos a Ele, deveríamos viver contentes porque Cristo vive em vós.

Essa raposinha sutil faz com que muitas pessoas vivam amarguradas, tristes, sem conseguirem se alegrar com a alegria do outro. Ao perceberem que o outro possui algo que elas ainda não têm, deixam brotar dentro de si esse sentimento terrível, a inveja, que é a declaração abominável de que Deus não está no controle de todas as coisas.

A Palavra diz: “Contentai-vos com as coisas que tendes.” Um sério problema enfrentado pelo coração humano é o descontentamento. Algumas pessoas invejam os cabelos, o físico, a voz e tantos outros detalhes dos quais Deus cuidou, carinhosamente, mas que elas, consciente ou inconscientemente, desprezam. Querido leitor, Deus nos fez assim como somos. E essa raposinha insiste e persiste em trazer embaraço a vida de tanta gente! Quantas pessoas insatisfeitas, vivendo cheias de inveja e insatisfação! Devemos vibrar aos vermos o sucesso do outro.

Ao vermos alguém com um carro novo, devemos abençoar a pessoa e o carro. Todavia, o invejoso diz: “Carro novo?! Olha só, está todo arranhado! Parece até que um gato andou esquiando nele! Eu que não queria um carro assim, velho e feio”. O invejoso está sempre depreciando. Você pode estar num Mercedes 76, carregando mais 80 pessoas, incluindo você, ou seja, ainda que você esteja dirigindo um ônibus, é preciso que se alegre com as bênçãos do amigo.

Talvez fique questionando: “Porque esta bênção não chega pra mim?” Muitas vezes é porque essa raposinha chamada inveja está aí, destruindo seu coração, impedindo-o de se alegrar com o outro.

A Palavra diz: “Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes.”Isso não quer dizer que você não deva procurar melhorar as condições da sua vida; não é isso, absolutamente! Procure melhorá-las sim, pois esta é a vontade de Deus para você. Vou lhe dar um conselho para que isso aconteça: Comece a gostar de você do modo como Deus o fez. Admire cada traço do seu corpo, porque Deus o traçou carinhosamente! Precisamos nos amar e nos aceitar, porque a Palavra diz que a boca fala do que está cheio o coração (Mateus 15.18). Assim, se não gostamos de nós mesmos, como amaremos e aceitaremos as outras pessoas?

Então amados vamos matar a raposinha chamada inveja em nós se ela existe, se for o caso de ter alguém assim perto de você procure se afastar, esse é um sentimento muito triste.

Postado por:

COMENTAR Comentários desativados em Devocional: Não a Inveja

Comentários estão fechados!

Link me

Copyright © 2019 Michelle Bueno